Perguntas mais frequentes

 

Nesta página do site estão relacionadas as perguntas mais frequentes realizadas pelas pessoas e entidades por meio do nosso endereço eletrônico, em palestas, nas reuniões e durante as atividades realizadas pelos integrantes do Fórum Pró-Ferrovia em Cuiabá. Tire suas dúvidas, faça sua pergunta ou mande suas sugestões utilizando nosso e-mail, nós te agradecemos:

forumproferrovia@gmail.com

 01  Qual é o papel do Fórum Pró-Ferrovia em Cuiabá?

O Fórum Pró-Ferrovia é um entidade supra-partidária que defende, por meio dos seus integrantes, o fortalecimento do modal ferroviário no país e tem como objetivo principal, garantir o avanço dos trilhos no Estado de Mato Grosso, em especial, até a sua Capital, Cuiabá. Participam do Fórum várias entidades organizadas que junto com a sociedade atuam cada qual dentro da sua respectiva área e estão sempre unidos e presentes na defesa dessa causa.

 

 

 

 02  Quando a Ferrovia irá chegar a Cuiabá?

É importante ressaltar que uma ferrovia é construída em etapas. A Ferrovia Senador Vuolo começou a sair do papel com a construção da Ponte Rodo-Ferroviária de 3.770 metros, sobre o Rio Paraná (Aparecida do Taboado-MS com Rubinéia-SP), 1998. Em 2000, tivemos a chegada dos trilhos a MT, com a inauguração dos terminais de Alto Taquari (2000) e Alto Araguaia (2002). Somente em 2010, vimos inaugurado o terminal de Itiquira e em 2012, os trilhos chegaram a Rondonópolis. O próximo passo é Cuiabá. Estamos trabalhando para que em 2017 tenhamos definidos toda programação dos agentes que estarão construindo a Ferrovia até a Capital. Construção essa que acontecerá em, aproximadamente, 05 anos. Em seguida, os trilhos seguirão em frente rumo à Diamantino, Lucas do Rio Verde e Sinop. 

 

 

 

 03  Por que no Brasil a Ferrovia é tão esquecida?

As multinacionais ligadas ao petróleo, principalmente, após a década de 60 exerceram uma forte influência no sistema de transporte do País. O domínio dos automóveis e caminhões sobre os outros modais foi marcante e infelizmente, houve um desequilíbrio significativo na malha viária terrestre do Brasil. As ferrovias que até então, cumpriam um papel importante de integração nacional deixaram de ser prioridade do poder público e ficaram em último plano nos investimentos. Hoje temos um custo logístico extremamente elevado com altos índices de acidentes, péssimas condições nas estradas e andamos na contra-mão dos países desenvolvidos graças à visão míope dos nossos dirigentes políticos que privilegiaram quase que exclusivamente o sistema rodoviário em detrimento dos outros meios de transportes. Por isso, defendemos um reequilíbrio entre os modais e acreditamos que o Brasil alcançará um patamar de primeiro mundo quando as rodovias, hidrovias e ferrovias estiverem funcionando plenamente no País. 

 

 

 

 04  A classe política tem apoiado o avanço da Ferrovia em MT?

Essa é uma luta política. Começou com um político sonhador e determinado que abraçou a bandeira e acreditou que era possível transformá-la em realidade. Ao final da sua vida, o Ex-Senador Vuolo viu os trilhos chegando à Mato Grosso. Hoje a Ferrovia é uma realidade para o nosso Estado, mas já existem outros segmentos que defendem e são aliados à essa luta, como por exemplo: o agronegócio. Acredito que a mobilização popular, junto com fatores econômicos favoráveis e a sociedade organizada sempre atenta à essa causa, irão cobrar da classe política o cumprimento desse compromisso. Dar continuidade a luta iniciada por Vuolo é obrigação do meio político e temos certeza de que unidos iremos em breve escutar o apito do trem em Cuiabá e nos quatro cantos do nosso rico Estado de Mato Grosso.

 

 

 05  O que a Ferrovia irá trazer de benefício para Cuiabá?

Os benefícios são imensuráveis. Basta analisar o impacto positivo que a chegada da Ferrovia trouxe para os municípios que tiveram seus terminais instalados. A movimentação econômica aumentou, muitas empresas se instalaram nas regiões, novos postos de trabalho surgiram, as terras valorizaram e isso garantiu o crescimento na qualidade de vida da população. Para Cuiabá será ainda melhor, porque além do benefício de todos os pontos anteriormente ressaltados, a Capital de Mato Grosso reúne as melhores condições para receber um terminal ferroviário. A cidade é o maior centro consumidor do estado, o que permitirá um fluxo de produtos a serem transportados de São Paulo para Mato Grosso a chamada carga de retorno, possui abundância em fornecimento de energia, gasoduto, tem um parque industrial instalado, inclusive com uma Estação Aduaneira em pleno funcionamento onde você pode importar e exportar sem precisar sair do Estado, é o maior centro distribuidor de produtos, possui as principais faculdades e universidades formadoras de uma mão-de-obra qualificada para ser absorvida no mercado de trabalho, além de estar localizada no centro geodésico da América do Sul, portanto em uma posição estratégica para o escoamento da produção para o oeste, norte, leste e sul via Cáceres atingindo o Mercosul. Todos os estudos de viabilidades feitos apontam para um incremento inicial de carga na ordem de 8 milhões de toneladas e definem como totalmente viável a chegada da ferrovia à Capital. Com a chegada da Ferrovia e consequente redução do custo do frete, não só Cuiabá, mas todos o municípios da baixada cuiabana iniciarão um novo ciclo de desenvolvimento onde o Mato Grosso e o Brasil irão ganhar muito.