top of page

Júlio Campos fará Audiência Pública na ALMT para cobrar o terminal ferroviário em Cuiabá


Há 50 anos a Baixada Cuiabana aguarda uma ferrovia que conecte os distritos industriais de Cuiabá e Várzea Grande aos portos do Sul, Sudeste e Norte do país. A chegada dos trilhos da Ferrovia Estadual Vicente Vuolo, de Rondonópolis à Capital, finalmente tem data para acontecer, com previsão em contrato entre o governo do Estado e a empresa Rumo S.A, para o segundo semestre de 2025.

Desta forma, a primeira ferrovia estadual do Brasil, a Ferrovia Senador Vuolo, terá novos 703 quilômetros acrescidos aos 300 já construídos. Para acompanhar esta demanda tão aguardada e fundamental para o desenvolvimento da Baixada Cuiabana, o deputado Estadual Júlio Campos (União Brasil) fará uma Audiência Pública no dia 18 de setembro, às 9h, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

“A empresa até agora apresentou apenas os projetos e estudos do trecho até Campo Verde. Um dos focos desta Audiência Pública é questionar sobre como está o andamento do projeto até Cuiabá. Para o sonho de agro industrialização e geração de emprego nos municípios da Baixada faz-se necessário esta conexão por transporte ferroviário com os grandes portos exportadores. Apenas desta forma Mato Grosso será competitivo e atrativo para que empresas queiram instalar seus parques industriais em nossas cidades”, afirma o deputado Júlio Campos.

Em Mato Grosso, a Rumo S.A. opera 300 quilômetros de trilhos da conhecida Ferrovia Senador Vicente Vuolo. Segundo a empresa responsável, ainda serão investidos na obra entre R$ 14 bilhões e R$ 15 bilhões, dos quais cerca de R$ 4,5 bilhões serão injetados para levar 220 quilômetros de trilhos de Rondonópolis até Campo Verde.

A ferrovia Senador Vuolo passará por 16 municípios e deverá gerar 100 mil empregos diretos e 100 mil indiretos. Também estão previstos no projeto 22 pontes, 21 viadutos, cinco passagens inferiores, aproximadamente dois quilômetros de túneis e um total de 108 mil toneladas de trilhos. Após a conclusão desta ferrovia, Cuiabá e o nortão mato-grossense passarão a ter uma ligação direta por trilhos com o estado de São Paulo e, principalmente, com o Porto de Santos.

Mato Grosso é responsável por mais de 40% das exportações de grãos do país, e de acordo com especialistas econômicos, se fosse um país seria o quarto maior produtor de alimentos, atrás da China, Estados Unidos e do próprio Brasil.

A Ferrovia de Integração Estadual de Mato Grosso é a primeira ferrovia estadual do Brasil. Os municípios que serão transpostos pelo projeto são Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Santa Rita do Trivelato, Rosário Oeste, Planalto da Serra, Nova Brasilândia, Primavera do Leste, Campo Verde, Dom Aquino, Poxoréu, São Pedro da Cipa, Juscimeira, Jaciara, Rondonópolis, Santo Antônio do Leverger e Cuiabá.

Segundo Francisco Vuolo, secretário de desenvolvimento econômico de Cuiabá e presidente do Fórum Pró-Ferrovia, essa Audiência Pública será fundamental para que a Rumo venha a Cuiabá e coloque nossa Ferrovia como prioridade e consolide a área onde está prevista a instalação do terminal Ferroviário que irá contemplar Cuiabá, Várzea Grande e Santo Antônio de Leverger.

“O grande ponto é priorizar a Capital, porque se há ferrovia em Mato Grosso é por causa da luta de Cuiabá por este modal. Inclusive a concessão estadual só existe devido a articulação dos deputados estaduais, para que esse licenciamento fosse possível. Queremos que esta ferrovia transporte não só cargas, mas desenvolvimento”, afirma Vuolo.

Bình luận


Em Destaque
Notícias da Ferrovia
Search By Tags
Nenhum tag.
Follow Us
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • Google Classic
bottom of page